A queda de cabelo pode ser causada por vários fatores. Desde distúrbios alimentares, passando estresse, e até problemas de saúde como anemia. O fato, porém, é que a queda de cabelo sempre será um sinal de que a saúde precisa de atenção.

É certo que a maioria dos casos de queda de cabelo pode ser combatida por meio de tratamentos clínicos à base de medicamentos para recuperar a saúde capilar. Contudo, a calvície mais comum, alopecia androgenética, que afeta dois em cada cinco homens, segundo dados da Associação Brasileira de Cirurgia e Reconstrução Capilar (ABCRC), não responde bem à maioria dos tratamentos para calvície.

Em princípio, e de forma geral, a calvície é originada por uma pré-disposição genética. Este tipo de calvície (alopecia androgenética) é caracterizado pela volumosa perda de cabelo causando um grande recuo nos cabelos desde a região frontal da cabeça, avançando até a região central do alto da cabeça. Isso acontece quando os folículos capilares são atingidos diretamente pela ação dihidrotestosterona, prejudicando o crescimento de novos fios e atrofiando os fios remanescentes, que se tornam frágeis e quebradiços, e assumem uma coloração mais clara.

Em grande parte dos casos, a recomendação é a cirurgia de transplante capilar. Mas, antes de tomar uma decisão pelo transplante capilar é importante buscar uma confirmação acerca do quadro clínico e do diagnóstico com um médico especializado em cirurgia capilar, que seja qualificado para uma avaliação precisa e capaz de recomendar a solução mais adequada para a satisfatória recuperação da função capilar. Entenda para quem é indicado o transplante capilar.

De maneira bastante simples, o transplante capilar consiste em um procedimento cirúrgico que realoca folículos capilares saudáveis para a região afetada pela calvície. Com a alocação dos folículos restabelecerá a função capilar, permitindo que novos fios de cabelo voltem a crescer.

Por sua vez, as unidades foliculares a serem transplantadas são, geralmente, retiradas da parte posterior da cabeça do próprio paciente, contendo pelos fortes e saudáveis, chamados de pelos terminais, e que não sofrem os efeitos da dihidrotestosterona (DHT) que os leva a enfraquecer e cair.

Os folículos capilares localizados na região lateral e posterior da cabeça são protegidos naturalmente dos efeitos testosterona. Por isso, mesmo quando são transplantados para uma região afetada pela alopecia, os fios terminais implantados não tornam a cair. Esta é a razão pela qual a cirurgia de transplante capilar é a solução mais indicada para a calvície hereditária.

No Brasil há clínicas excelentes para cuidar da saúde capilar. A Calvície BH é uma das mais tradicionais da capital mineira, especializada em implante e transplante capilar.

Dirigida pelo Dr. Otávio Boaventura, a Calvície BH, além de ser referência em tratamento da calvície e transplante capilar em Belo Horizonte, expandiu sua clínica para atender e realizar transplante capilar em Uberlândia.

O Dr. Otávio Boaventura tem vasta experiência e foi o primeiro médico a descrever e publicar a técnica de FUE (Extração da Unidade folicular, em inglês) com fios longos sem raspar a cabeça, tornando-se a principal referência mundial no assunto. A técnica de FUE é uma extração de folículos da região perto da nuca, um por um. Os folículos localizados na região da nuca não sofrem os efeitos deletérios da testosterona, resistindo ao enfraquecimento causado pelo hormônio, mesmo quando transplantados para uma região em que houve perda capilar, em razão de terem uma proteção natural.

A Calvície BH está equipada com os melhores recursos da medicina, e dispõe de uma equipe especializada para realizar o implante capilar com segurança, e propiciando uma cicatrização mais rápida e ausência de cicatriz linear da área doadora, e retorno mais rápido para atividades do dia-a-dia.

Confira também: Transplante Capilar