Conheça a técnica de implante capilar FUE e FUT
Pós-operatório FUE: Sem cicatriz linear

 Técnica de implante capilar FUE e FUT
Técnica combinada FUT e FUE

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vamos refletir um pouco sobre as diferentes técnicas de extração dos folículos para tentar responder essa pergunta:

Implante Capilar FUE

A #FUE retira os fios um a um, sem precisar de cortes com bisturi. Não deixa, portanto, aquela cicatriz linear – os furinhos resultantes se fecham em até 3 dias, não sendo necessário pontos de sutura. Os fios, como são retirados um a um, já saem prontos para serem reimplantados. A extração via FUE deixa micro-cicatrizes puntiformes e, se realizada em excesso, pode reduzir muito a densidade capilar da área doadora, pois os fios retirados vão, aos poucos, despovoando aquele local.

Implante Capilar FUT

A #FUT retira uma faixa de tecido ( pele e fios de cabelo) da área doadora através de incisões com bisturi. Em seguida, usamos fios de sutura para fechar a ferida resultante. Essa técnica não reduz a densidade (número de fios por centímetro quadrado ) da área doadora e não requer a raspagem dos fios desta área. A cicatriz terá uma forma linear em virtude do corte realizado, e extensão de uma orelha até a outra geralmente. O problema é que essa marca pode se tornar visível em casos que o paciente tenha poucos fios na área doadora (também pode ocorrer uma perda de fios mesmo da área doadora com o tempo) ou quando este faça uma opção por um corte de cabelo mais curto. Especialmente em jovens, a cicatriz resultante da FUT geralmente tem uma pior qualidade quando em comparação aos pacientes mais velhos, isso em decorrência da menor elasticidade e maior quantidade de colágeno da pele dos garotos.

Enfim, as duas possuem vantagens e desvantagens !  Tanto a FUE quanto a FUT podem ser muito úteis para os pacientes. O bom cirurgião de calvície deve conhecer amplamente e dominar as duas técnicas para oferecer ao paciente aquela mais vantajosa (mesmo que seja a combinação delas !) para seu o caso específico.